Homem é condenado por enviar vídeo de massacre

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


Um tribunal da Nova Zelândia condenou ontem, a 21 meses de prisão, um homem de 44 anos que redistribuiu a transmissão ao vivo do atentado supremacista de 15 de março contra duas mesquitas da cidade de Christchurch, onde 51 pessoas morreram.

Philip Arps, dono de uma empresa de isolamento térmico de Christchurch que se promove com imagens neonazistas e de supremacia branca, foi considerado culpado de duas acusações de distribuição de material inaceitável.

Ele admitiu que enviou o vídeo a aproximadamente 30 pessoas. (Com agências internacionais)

Notícia



Oposição aprova retorno da Venezuela a tratado regional para pressionar Maduro

A Assembleia Nacional aprovou nesta terça-feira o retorno da Venezuela ao Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR) para fortalecer a cooperação com os países vizinhos e elevar a pressão sobre o presidente Nicolás Maduro...