Mercado de cartões deve alcançar marca de R$ 2 tri em 2019, diz Mastercard

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O mercado de cartões no Brasil vai acelerar seu ritmo de expansão no próximo ano e tem potencial para alcançar a marca de R$ 2 trilhões, de acordo com o presidente da Mastercard, João Pedro Paro Neto. Para o próximo ano, o executivo acredita que a taxa de expansão do segmento deve ficar entre 16% e 17%.

"Fechamos o ano melhor do que iniciamos. Avançamos em relação à substituição do dinheiro pelo cartão. Teremos um volume financeiro de cerca de R$ 1,6 trilhão e devemos chegar aos R$ 2 trilhões no ano que vem", projetou o presidente da Mastercard, em conversa com a imprensa, nesta tarde.

No acumulado do ano, entre janeiro e setembro, o uso dos cartões chegou a R$ 1,11 trilhão, com crescimento de 14% em relação ao mesmo intervalo de 2017, conforme dados mais recentes da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). A entidade espera que o valor transacionado supere a casa do R$ 1,5 trilhão em 2018.

Ao fazer uma análise do desenvolvimento do setor de cartões no Brasil nos últimos anos, o presidente da Mastercard afirmou que o segmento conseguiu crescer com segurança, investiu em tecnologia a partir de métodos alternativos de pagamento como por aproximação, e, principalmente, reduziu a participação do dinheiro na economia brasileira. Segundo ele, o compromisso assumido do mercado junto ao Banco Central é de alcançar uma participação de 60% no País em cinco anos. Atualmente, é, conforme Paro Neto, de cerca de 35%. Era de 30% a 31% no ano passado.

"Acho a meta factível. Se conseguimos alcançar será fantástico. Vamos praticamente dobrar a penetração do setor de cartões da economia brasileira", disse o presidente da MasterCard.

Notícia