TCU conclui que BNDES teve perda de R$ 670 mi ao aportar recursos no Bertin

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) teve uma perda de R$ 670 milhões ao aportar recursos no frigorífico Bertin por meio de seu braço de participações, o BNDESPar. Em valores atualizados, essa quantia equivale a R$ 1,17 bilhão.

O TCU quer agora que os citados, inclusive a JBS (que adquiriu o Bertin em 2009), apresentem em até 90 dias suas alegações ou então reembolsem ao BNDESPar o valor da perda.

O banco de fomento adquiriu, em 2008, uma fatia de 26,92% da empresa pelo valor de R$ 2,5 bilhões. O objetivo do Bertin era usar o dinheiro para aquisição de outras companhias (numa estratégia de consolidação e internacionalização), investir em modernização, implantar novas unidades industriais e ter capital de giro.

Os técnicos ressaltaram, porém, que o aporte acabou sendo sucedido por uma elevação do endividamento da empresa. No ano seguinte, o Bertin foi incorporado pela JBS, que agora está sendo cobrada pelo prejuízo do banco de fomento.

"Sendo assim, o salvamento do investimento realizado em 2009 por meio da fusão da Bertin com a JBS não se deu unicamente em função da crise de 2008 e seus efeitos, mas da perda de recursos do BNDES já na origem do investimento, por erros de avaliação cometidos pelo banco", diz o relatório do TCU.

A corte de contas também está pedindo explicações ao ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho, ex-membros da diretoria e técnicos do banco por terem aprovado o aporte com base em um relatório "que apresentava falhas e irregularidades". Esse documento, segundo o TCU, foi elaborado em tempo exíguo, sem levar em conta o endividamento do Bertin e sem o embasamento necessário para a complexidade da operação, utilizando principalmente informações fornecidas pelos interessados na operação e sem diligências para auferir os dados.

Segundo os técnicos do TCU, o aporte de R$ 2,5 bilhões foi superestimado pelo BNDES, e o valor correspondia na verdade a uma participação maior do que os 26,92% que ficaram nas mãos do banco.

Já na operação de incorporação do Bertin pela JBS, o relator, ministro Augusto Sherman, entendeu que haveria indícios de que o valor da participação que a BNDESPar detinha na empresa Bertin caiu de R$ 2,5 bilhões para R$ 1,742 bilhão, com uma perda de R$ 758 milhões, ou seja, aproximadamente 30%.

Após a constatação do prejuízo, a conduta dos envolvidos continuará a ser analisada pelo tribunal para eventual responsabilização, o que pode resultar em afastamento, perda de cargo ou pagamento de multas.

Notícia



Bolsas de Nova York fecham em queda expressiva

As bolsas de Nova York fecharam em expressiva queda nesta segunda-feira, 12, dia de pouca liquidez diante do feriado do Dia dos Veteranos nos Estados Unidos, em que as perdas foram protagonizadas pelos setores financeiro e de tecnologia...