Dúvida sobre futuro da Tesla faz ações da empresa caírem 5% nesta quinta

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


As dúvidas sobre se a fabricante de carros elétricos Tesla vai deixar a bolsa de valores de Nova York fizeram as ações da companhia caírem 4,8% nesta quinta-feira, 9. A desconfiança está relacionada ao fato de o presidente da empresa, Elon Musk, não ter confirmado ainda se a publicação dele que sugeria o fechamento de capital era verdadeira. A pressão sobre a empresa aumentou desde a última quarta-feira, quando notícias indicaram que o órgão de fiscalização dos Estados Unidos estava investigando a companhia.

As ações da Tesla fecharam o dia sendo negociadas a US$ 352,45, valor bem abaixo do estimado por Musk para o fechamento de capital. Na terça-feira, o executivo disse que tiraria a empresa da bolsa de valores se as ações atingissem a meta de US$ 420. Para isso, Musk disse que já tinha fechado com um fundo de investimento que o ajudaria na transação de compra de ações.

Desde então, Musk não mostrou mais evidências que respaldassem sua declaração, nem a Tesla divulgou alguma informação oficial. Instituições financeiras próximas à empresa e ao executivo também negaram que estejam em negociação com a fabricante.

O caso se agravou na quarta à noite quando o Wall Street Journal publicou que a Securities and Exchange Commission (SEC), órgão fiscalizador americano, estava investigando o assunto. Os reguladores perguntaram à empresa se o que Musk publicou em sua conta no Twitter era real e porque ele não divulgou isso por meio de uma plataforma oficial. Nem a SEC nem a Tesla quiseram comentar.

A falta de definição impactou diretamente o mercado. "O que os investidores estão esperando é mais detalhes sobre o que significa quando Elon Musk diz que o financiamento está garantido", disse George Galliers, analista da Evercore ISI a agência de notícias Bloomberg. "Eles estão levantando muitas questões sensatas sobre quem estaria fornecendo o financiamento e como isso poderia funcionar."

Deixar o mercado não é uma ideia nova de Musk. Em novembro, em uma entrevista publicada pela revista Rolling Stone, o executivo disse que gostaria que a empresa saísse da bolsa porque isso a tornaria mais eficiente. Na época, Musk também não explicou como nem quando faria isso.

Notícia



Empresas britânicas podem iniciar planos de contingência para Brexit em dezembro

Uma importante associação industrial britânica diz que a maioria das empresas estará pronta para ativar planos de contingência relacionados à saída do Reino Unido da União Europeia em dezembro, se não houver maior clareza sobre como será feito o Brexit...