Vendas do varejo caem 0,6% em maio ante abril, afirma IBGE

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


As vendas do comércio varejista caíram 0,6% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, informou na manhã desta quinta-feira, 12, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 3,9% a ligeiro avanço de 0,1%, com mediana negativa de 0,7%.

Na comparação com maio de 2017, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 2,7% em maio de 2018. Nesse confronto, as projeções iam de uma queda de 4,9% a alta de 4,6%, com mediana positiva de 2,8%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 3,2% no ano. No acumulado em 12 meses, houve avanço de 3,7%, segundo o IBGE.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 4,9% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal. O resultado veio pior que mediana das estimativas (-3,2%), mas dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam um recuo entre 6,6% a 0,8%.

Na comparação com maio de 2017, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 2,2% em maio de 2018. Nesse confronto, as projeções variavam desde uma redução de 7,7% a uma expansão de 7,0%, com mediana positiva de 4,1%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 6,3% no ano. Em 12 meses, o resultado foi de avanço de 6,8%.

Média móvel

O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito teve elevação de 0,4% em maio. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o índice de média móvel trimestral das vendas caiu 0,6% em maio.

Notícia



G-20 vê aumento da tensão comercial e pede mais diálogo entre países

O documento final da reunião ministerial do G-20, grupo formado pelos países mais ricos do mundo, que terminou neste domingo, 22, na capital da Argentina, reconhece o aumento da tensão comercial na economia mundial, alerta para os crescentes riscos dessas tensões e de questões geopolíticas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) e pede que os países ampliem o diálogo...