INA de abril avança 0,4% ante março, diz Fiesp

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O indicador de nível de atividade (INA) da indústria paulista avançou 0,4% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, revelaram nesta segunda-feira, 4, a Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp).

Sem ajuste sazonal, o indicador registrou alta de 9,1% em abril ante igual mês de 2017, e avançou 0,6% em relação ao verificado em março de 2018. Já no acumulado do ano até abril ante igual período do ano anterior, houve alta de 5,8% no indicador.

Em nota à imprensa, o segundo vice-presidente da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, afirma que a recuperação da atividade industrial veio a um ritmo mais lento do que o esperado.

"Com essa greve de caminhoneiros das últimas semanas e com a Copa do Mundo em junho e julho, fica difícil avaliar o cenário para frente. É possível que tenhamos um segundo trimestre de crescimento menor do que o previsto. Vamos ter de fazer, com cautela, uma reavaliação geral do cenário para o fechamento do ano", aponta Roriz.

Em relação ao uso da capacidade instalada, o nível médio de utilização em abril com ajuste sazonal ficou em 76,1%, o que representa ligeira alta em relação a março (75,8%). O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) em abril de 2017 estava em 74,8% na medida com ajuste sazonal.

Sensor

A pesquisa Sensor, que tenta antecipar o resultado do mês corrente, fechou em 51,8 pontos em maio, na série ajustada sazonalmente, com queda de 1,3 ponto ante o resultado de abril, representando o décimo sexto mês consecutivo acima dos 50 pontos. A Fiesp/Ciesp aponta que leituras acima do patamar de 50 pontos indicam a expectativa de aumento da atividade industrial no mês.

Entre os indicadores que compõem o Sensor, a variável de vendas perdeu 7,3 pontos em maio, para 54,5 pontos.

O indicador de emprego teve avanço de 1,1 ponto, para 53,3 pontos. Já o indicador de estoques registrou alta de 3,7 pontos ante abril (43,4 pontos), atingindo 47,1 pontos e indicando estoques acima do nível desejado. Enquanto isso, a variável que verifica as condições de mercado recuou 1,1 ponto, para 53,9 pontos em maio.

Notícia



GM ameaça sair do País se não voltar ao lucro

Em comunicado enviado aos funcionários por e-mail e também fixado no quadro de avisos das cinco fábricas do grupo no Brasil, o presidente da General Motors Mercosul, Carlos Zarlenga, informou na sexta-feira, 18, que "investimentos e o futuro" do grupo na região dependem da volta da lucratividade das operações ainda este ano...