Paulo Autuori deixa diretoria do Fluminense após cinco meses no cargo

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O Fluminense confirmou nesta segunda-feira a saída do diretor de futebol, Paulo Autuori. O clube não informou os motivos da saída, mas deixou claro que a decisão partiu do dirigente.

"O clube lamenta a interrupção do trabalho, que trouxe diversas evoluções no dia a dia do futebol tricolor nestes pouco mais de cinco meses do profissional à frente do departamento e deseja sorte em seu próximo desafio na carreira", informou.

Autuori assumiu o cargo em dezembro de 2017, mas vinha enfrentando dificuldades por conta dos problemas financeiros do clube. Também pesou que deixasse o cargo a saída do diretor executivo Marcus Vinícius Freire, anunciada no último dia 11. Vinicius tinha sido uma dos responsáveis pela chegada de Autuori.

"Quero agradecer ao Paulo Autuori por todas contribuições que trouxe neste período conosco e pela conduta sempre transparente e íntegra enquanto esteve à frente do carro-chefe do nosso clube", afirmou o presidente Pedro Abad.

A nota contou ainda com um depoimento do dirigente. "Foi uma honra ter a oportunidade de fazer parte dessa instituição histórica e vitoriosa. Desejo sucesso ao clube nos próximos passos daqui em diante", disse.

O Fluminense foi o segundo clube na carreira que Autuori assumiu uma função nos bastidores, na gerência do futebol. No ano passado, ele ocupou o cargo de manager do Atlético-PR. Autuori tem longa e vitoriosa carreira como treinador.

Entre as conquistas, destaque para duas Copas Libertadores, uma pelo Cruzeiro em 1997 e outra pelo São Paulo, em 2005. Também alcançou o título do Mundial de Clubes pelo São Paulo em 2005 e a taça do Campeonato Brasileiro de 1995 pelo Botafogo.

Notícia