Na Rússia, Macron faz aceno a Putin, em teste para relação com Trump

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O presidente da França, Emmanuel Macron, se uniu nesta sexta-feira ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, em defesa do acordo nuclear com o Irã. Ao lado do líder russo, Macron disse ainda que a Total estimou que um investimento de US$ 2,6 bilhões em um projeto de gás natural no Ártico que deve ajudar a segurança energética francesa e abrir caminho para relações mais próximas entre os países.

O acordo, firmado pela companhia francesa Total na presença de Macron e Putin na noite da quinta-feira, ocorre em meio a tentativas da Casa Branca de isolar a economia russa, em resposta à suposta interferência de Moscou na última disputa presidencial e por causa das intervenções militares russas na Ucrânia.

A decisão do presidente americano, Donald Trump, de se retirar de um acordo nuclear com o Irã e voltar a impor sanções com outros governos que apoiam a iniciativa, entre eles os da França e Rússia. "Não consegui convencer Trump sobre o Irã - eu tentei", comentou o líder francês. Segundo ele, Trump aparentemente desistiu do acordo apenas porque ele foi firmado pelo predecessor, Barack Obama. Macron ainda defendeu o direito da União Europeia de fazer sua própria política externa e tomar suas decisões de negócios, evitando a politização. Fonte: Dow Jones Newswires.

Notícia



May ameaça com novo referendo se não houver acordo para Brexit

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, admitiu nesta segunda-feira, 15, pela primeira vez, que um eventual fracasso nas negociações para o Brexit, o divórcio do país com a União Europeia, pode levar a um segundo referendo sobre o tema, se houver tempo hábil para sua realização...