Comey diz que Rússia pode ter informações comprometedoras contra Trump

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O ex-diretor do FBI James Comey classificou o presidente dos EUA, Donald Trump, de "moralmente inadequado" para o cargo que ocupa e disse ser possível que a Rússia tenha informações comprometedoras contra o líder americano.

"Nosso presidente deve personificar respeito e aderir aos valores que estão no cerne deste país", disse Comey em entrevista exclusiva à ABC News, divulgada na noite de ontem.

Ao ser perguntado se Moscou poderia "ter algo" comprometedor contra Trump, Comey respondeu: "Acho que é possível".

Comey, que liderou uma investigação sobre possíveis laços entre a Rússia e a campanha presidencial de Trump até ser demitido, em maio do ano passado, reconheceu ser "espantoso" pensar que o Kremlin possa ter informações prejudiciais sobre um presidente americano. No caso de Trump, porém, ele afirmou não poder descartar a possibilidade de que o presidente foi comprometido.

Horas antes de a entrevista ir ao ar, Trump chamou Comey de "escorregadio" em sua conta no Twitter e disse que ele foi "o pior diretor da história do FBI, de longe".

Comey está para lançar um livro com sua versão sobre os fatos em torno de sua demissão e da investigação sobre a suposta interferência da Rússia na eleição presidencial americana de 2016. Fonte: Associated Press.

Notícia



Em meio à renúncia de presidente do BC, Macri evita comentar economia e FMI

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, afirmou que o país está "atravessando um período de mudanças profundas", mas evitou comentar sobre a economia argentina e as negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI), mesmo em meio à renúncia de Luis Caputo, que dirigia o Banco Central da República Argentina (BCRA)...