Partido governista ANC quer renúncia de Zuma, mas não fixa data para saída

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O partido governista da África do Sul, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), decidiu retirar o presidente Jacob Zuma do poder, mas não decidiu ainda como ou quando isso ocorrerá, afirmou nesta terça-feira o secretário-geral da sigla, Ace Magashule.

A autoridade partidária disse que Zuma concordou em princípio em deixar o comando do país, mas desejava seguir no posto por mais três a seis meses. As lideranças do ANC, porém, consideraram que isso seria tempo demais.

Magashule disse que o partido não deu ao presidente um prazo para entregar o poder nem discutiu a aprovação de uma moção de censura para retirá-lo a partir do Parlamento. Caso não recorra ao Legislativo, a única chance do ANC seria esperar que Zuma voluntariamente renuncie. "A única coisa com que não concordamos com ele foi sobre um período breve de transição", comentou o presidente do partido.

A pressão tem aumentado sobre Zuma desde dezembro, quando a ex-mulher dele e sua candidata favorita foi derrotada na disputa para sucedê-lo como líder do partido. A eleição interna foi vencida pelo vice-presidente Cyril Ramaphosa, que deve se tornar o presidente sul-africano.

Magashule confirmou que o ANC deseja que Ramaphosa seja o presidente do país. Comentou, porém, que foi dado "tempo e espaço" para Zuma decidir sobre a questão. Fonte: Dow Jones Newswires.

Notícia



Espionagem eleitoral pode ser 'um dos maiores escândalos' dos EUA, diz Trump

O presidente americano, Donald Trump, intensificou nesta quarta-feira, 23, seus esforços para desacreditar a investigação sobre o suposto conluio de sua campanha com Moscou, liderada pelo procurador especial Robert Mueller, e afirmou que o FBI foi flagrado em um "escândalo de espionagem"...