Temer conta com forte aparato de segurança na Marambaia para passar carnaval

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O presidente da República, Michel Temer, tem um forte esquema de segurança no entorno do trecho da Restinga da Marambaia, numa unidade da Marinha do Rio, onde está instalada a casa oficial e ele passa o carnaval. Durante todo o sábado, desde a manhã, a capitania dos portos trabalhou para impedir a passagem de barcos a pelo menos 1 km de onde o presidente está instalado com a família e equipe.

Temer embarcou da Base Aérea de Brasília para o Rio de Janeiro por volta das 10h40. Durante a semana, a imprensa divulgou que levaria uma comitiva de 60 pessoas, notícia que, segundo auxiliares, deixou o presidente "muito incomodado". Diante da repercussão, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em entrevista à Rádio Gaúcha, afirmou que seriam 40 e não 60 os acompanhantes.

De longe, na Restinga da Marambaia, na altura do município de Mangaratiba, na costa verde fluminense, entre uma intervenção e outra da capitania dos portos, foi possível avistar apenas um grupo de pessoas, adultos e crianças, na praia próxima à residência oficial, onde foi montada uma tenda branca para garantir a sombra. Por causa da distância, não foi possível identificar quantas e quais pessoas estavam no local.

Apesar da tentativa de se dirigir às proximidades da Restinga da Marambaia, ainda que nos limites permitidos pela Marinha, desde às 10h de ontem, a equipe de reportagem só conseguiu permanecer no mar por cerca de uma hora, enquanto a capitania dos portos analisava a documentação da embarcação e interceptava outras lanchas que passavam pelo local.

Notícia



PT pede que Weber antecipe pronunciamento; PSL sugere "câmara de conciliação"

A 11 dias do segundo turno das eleições, as campanhas de Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) apresentaram na noite desta quarta-feira, 17, sugestões à presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, para acalmar os ânimos nas ruas e evitar o excesso de judicialização em torno das propagandas veiculadas no horário eleitoral...