6,4 milhões de carros circularão pelas rodovias paulistas no carnaval

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


A mistura de bebida e direção estará no foco da fiscalização das Polícias Rodoviárias Estadual e Federal, durante o carnaval, nas rodovias do Estado de São Paulo. A previsão é de que 6,4 milhões de carros circulem nas principais vias que cruzam a região metropolitana de São Paulo entre o início da tarde desta sexta-feira, 9, quando o trânsito começa a aumentar, até o meio-dia da Quarta-Feira de Cinzas, 14. São 2,7 milhões de veículos apenas nas rodovias estaduais concedidas. Outros 1,2 milhão circulam em vias administradas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e 2,5 milhões nas rodovias federais.

A Polícia Rodoviária de São Paulo levará 300 bafômetros para fiscalizar a lei seca nas estradas - a multa é de R$ 1,9 mil, podendo haver apreensão do veículo, retenção da carteira de habilitação por 12 meses e processo passível de prisão. Será empregado um efetivo diário de 1,4 mil policiais em 526 viaturas, das quais 70 equipadas com radares portáteis.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que, além de radares, as viaturas posicionadas nos pontos críticos estarão equipadas com etilômetros. No carnaval do ano passado, os acidentes deixaram 140 pessoas mortas em todo o País. Cerca de 2 mil pessoas foram multadas e 214 presas por dirigirem embriagadas. Nas estradas de São Paulo, foram contabilizadas 18 mortes.

As concessionárias farão ações de conscientização contra a mistura de álcool e direção. Alguns pedágios foram escolhidos para apresentação de dançarinos e foliões carnavalescos, com mensagens de segurança viária.

Os motoristas que vão seguir para as praias da Baixada Santista terão a Operação Descida no Sistema Anhanguera-Bandeirantes, a partir das 9 horas desta sexta-feira. Quem vai para o litoral norte pela Tamoios encontrará uma faixa adicional no trecho da serra, do km 68 ao km 81.

Alguns pontos das estradas vão exigir mais atenção. Na Dutra, obras do trevo Jacu-Pêssego, no km 213, em Guarulhos, interditam a pista expressa sentido São Paulo - a via marginal é usada como desvio. Na Castelo Branco, estão sendo construídas faixas extras na região de Araçariguama, entre o km 44 e o km 52. Embora não haja interferência direta no tráfego, há redução de áreas de escape no trecho.

Com a duplicação da Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu, entregue em dezembro, a Rodovia Régis Bittencourt passou a ser alternativa para os paulistanos que se deslocam de carro em direção à praias do litoral sul, especialmente as de Itanhaém e Peruíbe. Embora haja aumento de 10% na distância, o motorista que optar pela Régis vai pagar R$ 12,40 de pedágio, enquanto pelo Sistema Anchieta-Imigrantes o pedágio totaliza R$ 65,20 (Imigrantes e Padre Manoel da Nóbrega), em viagem de ida e volta. Da Régis até Peruíbe, a pista não é duplicada.

Notícia