Trump diz que regras de comércio "mudaram" em seu governo

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


Na reta final de um giro pela Ásia, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira que todos os países que fazem comércio com os EUA "sabem que as regras mudaram". "Os Estados Unidos têm de ser tratados de maneira justa e recíproca", afirmou Trump em sua conta no Twitter, de Manila, parada final antes que ele volte a Washington, ainda nesta terça-feira. "Os grandes déficits no COMÉRCIO precisam diminuir rapidamente", ressaltou.

A questão foi enfatizada várias vezes por Trump durante as quase duas semanas de visitas por Japão, Coreia do Sul, China, Vietnã e Filipinas, que incluíram reuniões com os líderes dessas nações. Trump insiste que os déficits bilionários que os EUA têm com os parceiros será reduzido a zero e que o comércio em geral precisa ser justo e mutuamente benéfico.

Em mensagem na madrugada desta terça-feira, Trump comentou que participaria da cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean, na sigla em inglês), antes de ir a Washington. Segundo ele, a intenção é buscar "acordos de comércio justos", diferente do "horror dos governos anteriores". Ele ainda comentou que teria feito "muitos bons amigos" na viagem.

Em Manila, Trump busca estreitar laços com líderes da região, em busca de acordos bilaterais, não multilaterais, e também com o objetivo de ampliar a pressão sobre a Coreia do Norte para que o país abandone seu programa nuclear.

O presidente americano se encontrou com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, e ressaltou os laços "mais profundos e abrangentes" entre os países. Também se encontrou simultaneamente com o premiê australiano, Malcolm Turnbull, e com o japonês, Shinzo Abe.

Trump disse que esperará estar em Washington, na quarta-feira, para fazer um "grande anúncio" sobre dois tópicos, não especificados. "Nós temos dado grandes passos em relação ao comércio - muito maiores do que qualquer coisa que vocês saibam", disse Trump a repórteres, citando como exemplo os acordos com empresas estrangeiras.

O presidente americano avaliou a viagem como muito benéfica para os EUA e destacou a recepção em capitais como Tóquio, Seul e Pequim. Ele disse estar "realmente orgulhoso" do bom tratamento recebido, que foi um sinal de respeito "talvez um pouco por mim, mas realmente por nosso país". Fonte: Associated Press.

Notícia



Presidente alemão deve fazer pronunciamento às 12h30

O presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, deve realizar um pronunciamento às 12h30 (de Brasília), após os partidos envolvidos não conseguirem chegar a um acordo com a sigla da chanceler Angela Merkel para a formação de um novo governo, informou a imprensa local...