Jornalista é morto em latrocínio no Alto de Pinheiros

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O jornalista Oswaldo Macedo Ribas, de 64 anos, foi morto após ser baleado em um assalto na manhã desta quarta-feira, 11, no Alto de Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), os criminosos também levaram uma bolsa com documentos.

A SSP não informou características dos suspeitos nem como eles agiram. Ninguém foi preso.

A secretaria disse que a Polícia Militar foi chamada para atender a ocorrência às 5h30 desta quarta na Rua Isabel de Castela, próximo à praça do Pôr do Sol.

Ribas foi encontrado baleado no braço e no ombro, foi socorrido ao Hospital das Clínicas, mas não resistiu aos ferimentos.

Em nota, a CDN, agência de comunicação para a qual Ribas trabalhava, disse que há 19 anos ele fazia o mesmo trajeto para ir ao trabalho. "Um dia muito triste para nós. Oswaldo Ribas, nosso colega, nos deixou hoje cedo."

A nota diz que ele era dos primeiros a chegar ao trabalho, "sempre com bom humor, profissionalismo e generosidade". Ele deixa esposa, três filhos e dois netos.

A agência informou que Oswaldo Ribas era gerente e editor da CDN Análise e Tendências na área internacional, atendeu grandes grupos empresariais e bancos públicos como Banco do Brasil, Petrobrás, BNDES e Telefónica. Era graduado em Jornalismo pela Unip e em Ciências Sociais pela USP.

Ribas foi editor de Finanças Internacionais da Gazeta Mercantil e também foi redator, repórter e editor assistente nas editorias de Internacional e Economia do jornal O Estado de S. Paulo, quando participou do projeto de edição brasileira do The Wall Street Journal Americas.

Notícia



Comércio reage com produtos natalinos, mas já foca nas vendas de réveillon

Tradicionalmente o consumidor paulistano procura enfeites na região da 25 de Março nesta época do ano, mas tem reclamado dos preços pouco convidativos e antecipado as compras de acessórios para o réveillon...