Operação no Rio foca bombeiros e empresários envolvidos em venda de alvarás

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


Uma operação para prender 35 bombeiros e três empresários envolvidos em um esquema de propinas é realizada nesta terça-feira, 12, pelo Ministério Público e a Corregedoria Geral Unificada da Secretaria Estadual de Segurança do Rio de Janeiro. Os bombeiros, entre eles dez coronéis, são acusados de liberar alvarás e licenças de prédios comerciais em troca de pagamentos de R$ 750 a R$ 30 mil.

Conforme o MP, o grupo era liderado pelos coronéis bombeiros José Augusto da Cunha Bandeira e Ricardo Luiz Ferreira de Aguiar, que eram assessores especiais do comandante-geral do Corpo de Bombeiros. Eles nomeavam outros comandantes dispostos a participar do esquema de corrupção, de acordo com a denúncia. Já os empresários são sócios de empresas supostamente especializadas em regularizar a documentação de estabelecimentos comerciais.

Os alvarás eram liberados ou agilizados sem o cumprimento de todos os requisitos de segurança. Foram registrados casos em vários batalhões dos bombeiros no Estado, em especial em Nova Iguaçu e em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

A Operação, batizada de Ingenium (engenharia, em latim), também cumpre 64 mandados de busca e apreensão desde o início do dia no Rio. O balanço das prisões e apreensões deve ser divulgado durante esta terça-feira.

Notícia



Alitalia terá de indenizar por não servir refeição judaica

A companhia aérea italiana Alitalia terá que indenizar por danos morais a passageira Ilana Segal, que ficou sem receber a alimentação kosher, específica do judaísmo, durante um voo do Rio para Tel Aviv...