Nadal amplia liderança, Federer retoma nº 2 e Djokovic deixa Top 5 após 10 anos

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


Um dia depois de conquistar o seu terceiro título do US Open, Rafael Nadal ampliou a sua vantagem na liderança do ranking mundial. O espanhol passou a ostentar 9.465 pontos na listagem da ATP, atualizada nesta segunda-feira, quando Roger Federer também recuperou a condição de tenista número 2 do mundo.

Eliminado pelo argentino Juan Martín del Potro nas quartas de final do Grand Slam norte-americano, o suíço ultrapassou o britânico Andy Murray, que ficou fora desta edição do grande evento em Nova York por estar lesionado e caiu da segunda para a terceira posição. Federer ainda está muito distante de Nadal com os seus atuais 7.505 pontos e não ocupa a liderança desde outubro de 2012, mas agora atingiu o seu melhor ranking desde 8 maio do ano passado, quando também figurou no segundo posto.

Agora terceiro colocado, Murray tem 6.790 pontos e passou a ter como seu mais próximo perseguidor o jovem alemão Alexander Zverev, de apenas 20 anos, que subiu da sexta para a quarta posição, embora tenha decepcionado ao cair de forma precoce no US Open, do qual foi eliminado na segunda rodada.

Outra grande novidade do ranking atualizado nesta segunda-feira foi a queda de Novak Djokovic da quinta para a sexta colocação. Mais uma baixa de peso deste último US Open por motivo de lesão e afastado das quadras até o final desta temporada, o sérvio não figurava fora do Top 5 há mais de dez anos. E o grupo dos cinco primeiros agora é fechado pelo croata Marin Cilic, que pulou do sexto para o quinto lugar nesta segunda.

A última vez que Djokovic, ex-número 1 do mundo, não estava entre os cinco primeiros havia sido em 3 de julho de 2007. E agora ele viu Federer e Nadal voltarem a ocupar os dois primeiros postos do ranking pela primeira vez desde 20 de março de 2011, quando o espanhol também estava logo à frente do suíço.

Campeão do US Open no ano passado, o suíço Stan Wawrinka pagou o preço por não ter conseguido jogar esta edição do Grand Slam por também estar lesionado. Sem defender os pontos que somou na competição em 2016, ele despencou da quarta para a oitava posição, que antes era do austríaco Dominic Thiem. Este último caiu nas oitavas de final diante de Del Potro e agora passou a figurar em sétimo lugar.

Outra novidade do Top 10 foi a entrada de Pablo Carreño Busta, que debutou no grupo dos dez primeiros ao saltar da 19ª para a 10ª posição após ter avançado às semifinais deste US Open. Surpreendente finalista em Nova York, o sul-africano Kevin Anderson alcançou uma ascensão ainda maior do que a do espanhol ao subir 17 colocações e passar a ostentar a condição de 15º tenista do mundo. O veterano, porém, já foi o décimo da ATP em outubro de 2015.

Del Potro, por sua vez, viu ser premiada a sua boa campanha neste US Open, na qual eliminou Federer nas quartas de final e só parou em Nadal na semifinal. Ex-Top 10, o argentino saltou da 28ª para a 24ª posição e agora é o tenista sul-americano de melhor ranking.

BRASIL - Entre os brasileiros, Rogério Dutra Silva caiu da 68ª para a 74ª posição após ser eliminado na estreia do US Open. Mesmo assim, ele seguiu como número 1 do País, agora apenas dois postos à frente de Thomaz Bellucci, outro que caiu na primeira rodada em Nova York e se manteve no 76º lugar. Outro único tenista do Brasil no Top 200 e que também foi eliminado na estreia em Nova York, Thiago Monteiro desceu da 113ª para a 116ª colocação.

No ranking dos duplistas, Marcelo Melo subiu da quarta para a terceira posição mesmo após ser eliminado na segunda rodada em Nova York. Ele ultrapassou o britânico Jamie Murray, que estava em terceiro lugar e foi superado ao lado de Bruno Soares nas quartas de final. Os dois defendiam a condição de atuais campeões de duplas do US Open e, com a derrota ao lado do britânico, Bruno despencou do sétimo para o 12º lugar e assim deixou o Top 10.

Confira a classificação atualizada do ranking da ATP:

1) Rafael Nadal (ESP), 9.465 pontos
2) Roger Federer (SUI), 7.505
3) Andy Murray (GBR), 6.790
4) Alexander Zverev (ALE), 4.470
5) Marin Cilic (CRO), 4.155
6) Novak Djokovic (SER), 4.125
7) Dominic Thiem (AUT), 4.030
8) Stan Wawrinka (SUI), 3.690
9) Grigor Dimitrov (BUL), 3.575
10) Pablo Carreño Busta (ESP), 2.855
11) Milos Raonic (CAN), 2.825
12) David Goffin (BEL), 2.695
13) Roberto Bautista Agut (ESP), 2.525
14) Kei Nishikori (JAP), 2.475
15) Kevin Anderson (AFS), 2.470
16) Sam Querrey (EUA), 2.445
17) John Isner (EUA), 2.425
18) Jo-Wilfried Tsonga (FRA), 2.375
19) Tomas Berdych (RCH), 2.355
20) Nick Kyrgios (AUS), 2.245
74) Rogério Dutra Silva (BRA), 688
76) Thomaz Bellucci (BRA), 682
116) Thiago Monteiro (BRA), 495
216) João Souza (BRA), 242
244) Guilherme Clezar (BRA), 213
256) João Pedro Sorgi (BRA), 197

Notícia



'Perplexa', CBRu deverá ir à Justiça contra anulação de voto em assembleia do COB

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) deverá ir à Justiça contra a anulação do voto de seu representante na Assembleia Geral Extraordinária do Comitê Olímpico do Brasil (COB), realizada nesta quarta-feira...