Mariana Xavier relembra quebra de estereótipo em 'A Força do Querer'

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir




A Força do Querer substituirá Fina Estampa como a próxima reprise no horário da novela das 9 na próxima segunda-feira, 21. As atrizes Mariana Xavier, Juliana Paes, Dandara Mariana e Elizângela participaram de coletiva virtual nesta terça-feira, 15, para falar sobre o retorno da trama.

Mariana Xavier relembrou o capítulo em que Elis Miranda (Silvero Pereira) sofre um ataque homofóbico ao lado de sua personagem: "Uma atriz como eu, que normalmente é chamada para fazer comédia, agarra com todas as forças as oportunidades que ela tem para fazer cena séria".

"Agradeço muito a essa novela porque a Biga sua personagem não era o alívio cômico da trama. Era uma mulher normal, que tinha situações divertidas e outras dramáticas. Pra mim foi muito importante na desconstrução desse estereótipo de que a gorda tem que ser sempre a engraçada, sempre a palhaça", afirmou.

A atriz também relembrou as dificuldades que teve em conciliar as gravações da novela com as da Dança dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão do qual participou em 2017.

"Não à toa eu desenvolvi um processo de ansiedade ali. Um dia eu gravei novela até as 13h no Rio e tinha que gravar, em São Paulo, Dança dos Famosos às 16h", recorda.

Ao longo da conversa, Juliana Paes abordou o que tem feito durante o período de pandemia: "Estou apaixonada pela filosofia. Se eu pudesse sair de casa acho que ia fazer um curso agora."

"Não é papo cabeça coisa nenhuma. Platão a gente vive todo dia. Falar sobre Marco Aurélio é falar sobre questões que a gente está vivendo agora. Isso está ajudando muito a desanuviar minha cabeça", refletiu.

Questionada sobre o que Bibi Perigosa pensaria a respeito do atual momento do Rio de Janeiro, Juliana respondeu: "Se tivesse vendo tudo isso, ela iria falar: 'tá vendo, não sou só eu que tenho que ficar atrás das grades!'".

"Nós, do Rio de Janeiro, estamos muito tristes, sem saber que caminho, que luz, que direção tomar... Cada dia uma notícia pior sobre nosso Estado, nossa cidade. Nossos políticos estão presos ou indiciados. Têm denúncias claras sobre eles", afirmou.

Juliana também comentou as gravações feitas para A Força do Querer: "Tive muitas cenas marcantes e difíceis. Toda vez que a gente tinha que fazer as cenas de correria, ali na favela Tavares Bastos, aquelas sequências eram as cenas com mais dificuldade."

"Diferentemente do que algumas pessoas disseram na época, a gente não queria nenhuma 'glamourização' da vida do crime. Queria chegar mais próximo da realidade possível, a gente tinha muito compromisso com isso, tentava ser fiel ao que aconteceria, de fato".

Já Dandara Mariana destacou o fato de a novela sair do 'eixo' Rio-São Paulo e se passar em Belém do Pará: "Estava envolta em questões e lugares que ainda não tinham sido explorados. A gente estava contando também a história de uma outra cultura".

A Força do Querer foi exibida originalmente em 2017, e volta ao ar na segunda-feira, 21 de setembro, substituindo Fina Estampa. Por conta da pandemia do novo coronavírus, estão sendo exibidas reprises antes da volta de Amor de Mãe.

Notícia