Reino Unido: Primeiro-ministro diz que acordo comercial com EUA 'não será fácil'

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, alerta que fazer um acordo comercial com o Estado Unidos não será "fácil", por causa das barreiras aos produtos britânicos nos mercados americanos.

Falando neste sábado, quando viajou para a França para a reunião do G7, Johnson citou carnes bovina e de cordeiro, travesseiros e fitas métricas como alguns dos produtos britânicos que têm entrada dificultada nos mercados dos EUA por razões burocráticas.

Johnson diz que as tortas de porco, por exemplo, "atualmente não conseguem entrar no mercado dos EUA por causa de algum tipo de restrição da Food and Drug Administration (FDA, órgão regulador de alimentos e medicamentos nos EUA)".

O primeiro-ministro diz que levantou a questão com o presidente dos EUA, Donald Trump, durante um telefonema na véspera do encontro. Johnson e Trump se encontrarão neste domingo.

Johnson diz que alguns setores da economia do Reino Unido, como o Serviço Nacional de Saúde, permaneceriam completamente fora das conversas a respeito de qualquer acordo comercial com os EUA.

Trump

Em seu Twitter, Trump elogiou o presidente da França, Emmanuel Macron, pela recepção no encontro de cúpula do G7. "O almoço com Emmanuel foi a melhor reunião que tivemos até agora. Da mesma forma, os encontros com os líderes mundiais na parte da tarde foram muito bons. Estamos fazendo progresso!", relatou Trump. Fonte: Associated Press, com Renato Carvalho.

Notícia



Bolsas da Europa fecham majoritariamente em alta com investidor de olho no Fed

Os mercados acionários europeus encerraram o pregão desta quarta-feira majoritariamente em alta, ainda que contida, com os investidores à espera da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano)...